quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Cervejaria Corona

  • Não foi para os moradores: dono de cervejaria morre e deixa fortuna para familiares


Você doaria R$ 700 milhões para desconhecidos? A informação de que o criador da cerveja Corona, Antonino Fernández, enriqueceu todas as pessoas de sua cidade natal teve repercussão em todo o mundo. A história viralizou e foi compartilhada por milhões de internautas pelo mundo afora. Mas ela não era totalmente verdadeira.
De acordo com o jornal britânico The Guardian, o falecido foi muito generoso com a aldeia ao longo da vida, mas a herança, avaliada em 200 milhões de euros, foi deixada para os sobrinhos. Não teve doação de R$ 8,4 milhões para 80 moradores.
Não há informações de como o boato se espalhou, mas a Fundação Cerezales Antonino e Cinia, ligada ao ex-bilionário, acredita que foi após uma reportagem no jornal local Diario de Leon. 
Antonino Fernández morreu em agosto, aos 99 anos. Ele era pobre e foi forçado a deixar a escola aos 14 anos. Aos 32 anos, emigrou para o México e virou presidente de uma das maiores cervejarias locais.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Instrução Normativa IN 1673/16 - Parte II

Resultado de imagem para Medidor de bebidas

Receita publica IN sobre controle e registro de bebidas dispensadas do Sicobe


BRASÍLIA - A Secretaria da Receita Federal editou a Instrução Normativa (IN) 1.673/2016, que dispensa, sob algumas condições, a exigência do selo de controle nas bebidas que deixarem de ser submetidas ao sistema de controle de produção Sicobe a partir de 13 de dezembro de 2016 - em outubro, a Receita desobrigou fabricantes de bebidas de usar o Sicobe a partir dessa data.
De acordo com a IN publicada nesta sexta-feira, 25, essas empresas poderão deixar de adotar o selo de controle desde que o estabelecimento industrial faça opção definitiva por prestar as informações diárias de sua produção à Receita Federal e a pessoa jurídica à qual o estabelecimento estiver vinculado cumpra os requisitos necessários para o registro especial da produção.
O texto determina que as informações de quantidade de produtos retirados do estabelecimento apresentadas pelo contribuinte nas notas fiscais eletrônicas de saída deverão ser discriminadas por unidades de produtos. A empresa estará sujeita, segundo a IN, a multa de 100% do valor comercial do produto, não inferior a R$ 10 mil, em caso de omissão de dados ou informação incorreta.

Instrução Normativa IN 1673/16

SETOR DE BEBIDAS - CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE - IN 1673/16 - DE VOLTA AO PASSADO


·         Publicado por Jorge Campos no site Sped Brasil, com seus comentários abaixo sobre BLOCO K - Produção e estoque

Pessoal,
Estamos retornando à idade da Pedra, ops, da planilha, vejam a solução que a RFB, colocou para substituir o SICOBE e o Bloco K para o setor de bebidas:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.673, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2016

Altera a Instrução Normativa RFB nº 1.432, de 26 de dezembro de 2013, que dispõe sobre o registro especial a que estão sujeitos os produtores, engarrafadores, cooperativas de produtores, estabelecimentos comerciais atacadistas e importadores de bebidas alcoólicas, e sobre o selo de controle a que estão sujeitos esses produtos.

O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso da atribuição que lhe confere o inciso III do art. 280 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal do Brasil, aprovado pela Portaria MF nº 203, de 14 de maio de 2012, e tendo em vista o disposto no art. 46 da Lei nº 4.502, de 30 de novembro de 1964, no art. 16 da Lei nº 9.779, de 19 de janeiro de 1999, e no art. 13 da Lei nº 12.995, de 18 de junho de 2014, resolve: Art. 1º O art. 16 da Instrução Normativa RFB nº 1.432, de 26 de dezembro de 2013, passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 16. ...................................................................................
 VI - que deixarem de ser controladas pelo Sicobe a partir de 13 de dezembro de 2016, desde que:
 a) o estabelecimento industrial faça opção definitiva por prestar as informações diárias de sua produção à RFB; e
 b) a pessoa jurídica à qual o estabelecimento estiver vinculado cumpra os requisitos estabelecidos pelo § 1º do art. 3º.
 § 1º As informações diárias da produção deverão ser apresentadas em planilha, no modelo constante do Anexo V desta Instrução Normativa, contendo a indicação individualizada da quantidade unitária produzida por tipo e marca de produto, tipo e volume de embalagem e estoque inicial e final de cada produto individualizado.
 § 2º As informações deverão ser encaminhadas pelo estabelecimento matriz do fabricante, de forma consolidada e individualizada por estabelecimento, até o 5º (quinto) dia útil posterior ao da produção, por meio de dossiê digital de atendimento, na forma prevista no art. 4º da Instrução Normativa RFB nº 1.412, de 2013.
 § 3º As informações de quantidades de produtos saídos do estabelecimento apresentadas pelo contribuinte nasnotas fiscais eletrônicas de saída deverão ser discriminadas por unidades de produtos.
 § 4º Aplica-se a multa de 100% (cem por cento) do valor comercial do produto a que se refere a informação, não inferior a R$ 10.000,00 (dez mil reais), sem prejuízo da aplicação das demais sanções fiscais e penais cabíveis, por:

I - omissão de informação;

II - informação incorreta ou incompleta quanto à quantidade, o tipo e à marca do produto ou tipo e volume de sua embalagem; ou

III - apresentação da informação em atraso ou em desacordo com o disposto nos §§ 1º ao 3º." (NR)

Art. 2º A Instrução Normativa RFB nº 1.432, de 2013, passa a vigorar acrescida do Anexo V, nos termos do Anexo Único desta Instrução Normativa.

Art. 3º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União e produzirá efeitos a partir de 13 de dezembro de 2016.

Instrução Normativa RFB nº 1.432....................
Das Exceções à Exigência de Selagem
Art. 16. O selo de controle não será aplicado nas bebidas relacionadas no Anexo I:
I - destinadas à exportação para países que não sejam limítrofes com o Brasil;
II - objeto de amostras comerciais gratuitas destinadas à exportação; e
III - procedentes do exterior, observadas as restrições da legislação aduaneira específica, quando:
a) importadas pelas missões diplomáticas e repartições consulares de carreira e de caráter permanente ou pelos respectivos integrantes;
b) importadas pelas representações de organismos internacionais de caráter permanente, inclusive os de âmbito regional, dos quais o Brasil seja membro, ou por seus integrantes;
c) introduzidas no País como amostras ou remessas postais internacionais, sem valor comercial;
d) introduzidas no País como remessas postais e encomendas internacionais destinadas à pessoa física;
e) constantes de bagagem de viajantes procedentes do exterior;
f) despachadas em regimes aduaneiros especiais, ou a eles equiparados;
g) integrantes de bens de residente no exterior por mais de 3 (três) anos ininterruptos, que se tenha transferido para o País a fim de fixar residência permanente;
h) adquiridas, no País, em loja franca;
i) arrematadas por pessoas físicas em leilão promovido pela RFB;
j) retiradas para análise pelos órgãos competentes;
IV - acondicionadas em recipientes de capacidade até 180ml (cento e oitenta mililitros);

V - controladas pelo Sicobe operando em normal funcionamento.


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Mercado cervejeiro em queda

“A Conta Por Favor!”


No intervalo da reunião do "Conselhão" do Governo Federal, de ontem, Jorge Paulo Lemann soltou a seguinte frase: “A vida está dura e difícil até para vender cerveja.” A situação econômica do país gera reflexos em todos os setores. A recuperação do rítimo está distante.

Segundo reportagem do jornal O Estado de São Paulo a Ambev apresentou retração esse ano. Até o terceiro trimestre, as vendas caíram 5,1% , se comparado no mesmo período em 2015. A receita líquida apresentou queda de 6,6%.

Isso é fato. O consumidor tem pedido ao garçom para por menos cerveja no copo.


LER Salão Carioca do Livro

Píer Mauá recebe primeira edição da LER, evento que passa a integrar a agenda cultural do Rio

Salão do Livro festeja a literatura com programação para todos os públicos entre os dias 24 e 27 de novembro
O Boulevard Olímpico, novo pedaço preferido do carioca, foi escolhido para receber a primeira edição da LER. Entre os dias 24 e 27 de novembro, das 10h às 21h, o espaço se transformará em Boulevard Literário com a presença de escritores, editoras, livrarias e leitores. Com acesso gratuito ao público, o evento será realizado no Píer Mauá e a programação vai celebrar a literatura em toda a sua diversidade. A LER vai proporcionar debates de diferentes assuntos com as mais variadas vozes. De acordo com Jerônimo Vargas, diretor da Base Eventos, a LER tem como foco a troca de conhecimento, a interação e a discussão. “A LER será um evento que entrará para o calendário da cidade do Rio”, acredita Vargas, que espera um público de 80 mil pessoas.
A LER se diferencia pelo fácil acesso ao local do evento e por oferecer ao público a oportunidade de participar de mesas redondas, lançamentos, bate-papos e oficinas com autores como Ruy Castro, Luis Fernando Verissimo, Marcelo Rubens Paiva, Alberto Mussa, Paulo Lins, Eucanaã Ferraz, Mary Del Priore, Gregório Duvivier e Heloísa Seixas, entre outros. Com curadoria do editor Julio Silveira – fundador da Casa da Palavra, gerente editorial da Agir e Nova Fronteira e diretor da Ímã Editorial -, o evento terá uma programação extensa e variada. No Café do Livro, são mais de 40 autores convidados. As atrações para o público infanto-juvenil estão sendo organizadas pela jornalista Marina Vieira, idealizadora e realizadora de diversos festivais de cultura.
“É muito oportuno fazer essa celebração do livro no Porto, onde as ideias desembarcavam e se misturavam, gerando os fundamentos da cultura carioca, como o samba. Agora que o Porto volta a ser dos cariocas, queremos que a LER seja de novo o ponto de encontro e fusão entre a tradição e a inovação”, destaca Julio Silveira. “Essa é a festa do livro e estão todos convidados: queremos dar voz e promover a conversa entre autores tradicionais e blogueiros, geeks e historiadores”.
O evento conta com exposições interativas e oficinas de escrita. A programação do Café do Livro inclui, entre outros assuntos, ficção policial, memória, poesia, sexualidade, comportamento e tecnologia, reforçando a diversidade. Juntam-se ao Café do Livro espaços infantis para promover o hábito da leitura de forma lúdica, área dedicada à leitura para jovens adultos, apresentações teatrais de clássicos da literatura nacional, além do Jardim Literário, que contará com convidados declamando poesias, esquinas com espaços para lançamento de livros e encontro com blogueiros, área dedicada a saraus abertos à participação ativa do público e o salão do livro com estandes de livrarias e editoras independentes e artesanais. Os sebos e os livros digitais também terão áreas destinadas a eles.
Serviço
LER – Salão Carioca do Livro
Data: De 24 a 27 de novembro

Local: Armazéns 2 e 3 do Pier Mauá – Avenida Rodrigues Alves 10, Centro.
Horário: 10h às 21h.
http://www.lersalaocarioca.com.br/

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Microcervejarias no Pão de Açúcar

Pão de Açúcar promove festival de microcervejarias em 186 lojas do país

por Eduardo Zobaran, do O Globo

As pequenas e médias cervejarias vão ganhar as prateleiras de 186 lojas do Pão de Açúcar pelo país. A partir desta sexta-feira, 18 de novembro, a rede promove seu primeiro Festival de Microcervejarias, que vai até a quinta-feira, 24. Serão 50 rótulos de 10 marcas nacionais, entre cervejarias de São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Pará. Os três rótulos mais vendidos durante o festival entrarão em definitivo nas prateleiras do supermercado. 
Rótulos da Madalena estarão disponíveis

A iniciativa é uma parceria com o Instituto da Cerveja. Na segunda-feira, às 19h, a sommelière de cerveja Kathia Zanatta, uma das maiores especialistas brasileiras no assunto, falará sobre o tema no Pão da Açúcar do Leblon (na Rua José Linhares, 245), no Rio. A apresentação é gratuita.

Confira as cervejarias e rótulos: Amazon Beer (Witbier Taperebá, Forest Bacuri e Red Ale Priprioca), Cervejaria Nacional (Sa'si Stout, X-Iara Pilsen, Kurupira Brown Ale, Mula IPA e Domina Weiss), Dama (IPA, Weiss, QI APA, Tupi IPA e American Lager), Barco (San Diego APA, Sexy Session IPA, Thai Weiss Gengibre e Gans West Double Pilsner), Dortmund (Schloss, Nostradamus, Red Rode Red Ale, Hopfen Imperial IPA e The White IPA), Prost Bier (Trigo, Red Ale, Strong Ale, IPA e Pilsen), Bierland (Strong Golden Ale, Vienna, American IPA, Pale Ale e Weizen), Madalena (Lager, Weiss, Bohemian Pilsner, IPA e Amber Ale), Quinta do Malte (Krait Hop Lager, Mamba IPA, APA, Rubra Orange Wheat Ale e Barão Red Ale), Votus (Red IPA, Weissbier, Doppelbock, American IPA, Belgian Tripel e German Pilsen).

Mais informações e fonte: O Globo http://blogs.oglobo.globo.com/saideira/post/pao-de-acucar-promove-festival-de-microcervejarias-em-186-lojas-do-pais.html
Real Time Web Analytics